31 de dez de 2008




Desejo que no Ano Novo que se inicia você realmente...
Ouça as palavras que sempre desejou ouvir .
Pronuncie as frases que um dia desejou repetir.
Sinta a emoção que sempre esperou sentir.
Caminhe pelos trilhos que um dia desejou seguir.
Divida o carinho com quem sempre desejou repartir.
Abrace todos os amigos que sempre desejou reunir,
e viva a vida que sempre sonhou existir...

"Feliz 2008"

14 de ago de 2008






Saci-Pererê




É comum nos Estados do Sul, mas também aparece em outras regiões, como na Sudeste. A lenda fala sobre um menino negro, com uma perna só e pouco mais que meio metro de altura que leva sempre um cachimbo na boca. Usa um gorro vermelho que o torna encantado. Espanta os viajantes na estrada e costuma trançar as crinas dos cavalos para que ninguém possa desfazer o emaranhado. Dia do SaciCom o objetivo de diminuir a importância da comemoração do Halloween no Brasil, foi criado em caráter nacional, em 2005, o Dia do Saci ( 31 de outubro). Uma forma de valorizar mais o folclore nacional, diminuíndo a influência do cultura norte-americana em nosso país.












30 de jul de 2008

Dia dos Pais





Pai, mão que ampara

Ombro que apoia

Olhos que guiam

Mãos que acariciam

Pai, força que sustenta

Carinho que educa

Sopro que encaminha

Amigo que acompanha

Pai, o melhor amigo

A segura companhia

Um fiel abrigo

Uma imagem de Amor

É você meu Pai,presente em meu coração

em imagens eternas

ontem, hoje, para sempre

























26 de jun de 2008

PETECA



Brincar nas Férias



Fonte:revista Professor Sassá especial brinquedos e brincadeiras



19 de jun de 2008

17 de jun de 2008

sugestão Festa Junina 3

Enfeites da Festa Junina da Escola onde trabalho...Gostaram?????



2 de jun de 2008

Sugestão Festa Junina 2
















Esses saquinhos são para colocar gulosimas de Festa Junina como amendoin,pé-de-moleque,paçoca,entre outras coisas.Serve como lembraçinha ou um saquinho para vender na Festa Junina.Espero que Gostem!!!!








30 de mai de 2008

Sugestão Festa Junina


Corrente
É fácil de fazer e sempre vai bem!
Você vai precisar de:Revistas; Tesoura; Cola
Como fazer:
1. Recortar diversas “tiras” de papel.
2. Colar as extremidades sempre “passando” o novo elo da corrente no anterior.

3 de mai de 2008


Trabalhando com os pés


Disciplina: Educação Física/Movimento Ciclo: Ensino Fundamental - 1ª a 4ª

Assunto: Fortalecimento dos músculos dos pés



Tipo: Metodologias


Os pés são os apoios que temos quando estamos na posição vertical e são eles que suportam o peso do nosso corpo. Conseqüentemente, uma boa postura é obtida a partir deles, quando alinhamos as pernas, a bacia, o tronco e a cabeça.Quando um indivíduo possui pés debilitados, toda a sua postura fica comprometida. A Educação Física deve voltar-se para a promoção da saúde e não se restringir às habilidades necessárias para a prática desportiva. Assim, é recomendável que ela contemple habilidades relacionadas à funcionalidade do corpo, como ficar de pé, andar, sentar ou transportar peso, pois são essas habilidades que os alunos usam no seu cotidiano.Descrição da Atividade1ª etapa – Sensibilização e preparaçãoO professor inicia o trabalho em uma aula anterior à atividade propriamente dita, com uma conversa sobre a importância dos pés e sua funcionalidade. Pode levantar questões como:
Para que servem os pés?
Eles são uma parte do corpo de que você gosta?
O que causa o mau cheiro dos pés (chulé)?
Você sabia que se pode fortalecer os pés por meio de ginástica?
Você sabia que, segundo a medicina oriental, pode-se atingir a maioria dos órgãos do corpo ao massagear os pés?Em seguida, o professor fala sobre apoio, postura, asseio e a importância do uso de calçados adequados. Depois, combina com os alunos sobre a aula seguinte, em que será realizada uma ginástica para os pés, sendo necessário que estes estejam bem limpos (higienizados), pois os sapatos serão retirados.2ª etapa – Atividade propriamente ditaEssa atividade é constituída por um
circuito de dez estações numeradas, que pode ser montado na quadra, pátio ou mesmo na sala de aula. Os alunos dividem-se em grupos eqüitativos (por exemplo, no caso de trinta alunos, ficam três por estação). Cada grupo permanece por um minuto em cada estação, realizando o movimento estipulado, deixando-se um tempo de aproximadamente trinta segundos para a troca de estações.Cada grupo escolhe uma estação para iniciar a atividade e depois segue para a seguinte, conforme a seqüência numérica. O professor faz um aquecimento inicial e um relaxamento no fim da aula.Material necessário:Cabos de vassoura,Bambolês,Bolinhas de gude,Caixas de papelão,Escada ou tábua,Plinto,Latas (tamanho leite em pó),Papel e caneta,Bolas,Pedrinhas,Papel de jornal ou revista,Cones ou fita crepe,Tambor plástico ou de metal.

Antes da chegada dos alunos, o professor prepara as dez estações, que devem ser sinalizadas por cones ou fita crepe.Aquecimento InicialOs alunos tiram os sapatos e sentam-se em um grande círculo, com as pernas estendidas. Devem observar seus pés quanto a tamanho, largura, cor, temperatura e sensações. Essas impressões devem ser guardadas para comparação no fim da aula.Levantam e andam livremente pelo espaço, tentando apoiar todo o pé no chão, “desenrolando-o” do calcanhar à ponta. Em seguida, ao comando do professor, os alunos caminham apoiando as seguintes partes:
Calcanhar
Ponta dos pés
Borda externa
Borda internaPara finalizar o aquecimento, os alunos andam alternando livremente esses quatro apoios. Em seguida, realizam o circuito.Relaxamento FinalAo comando do professor, os alunos retomam a disposição do início da aula (em círculo, com as pernas estendidas). Devem observar atentamente se houve mudanças nos seus pés em relação às impressões obtidas no aquecimento (tamanho, largura, cor, temperatura, sensações). Em seguida, cada um comenta suas impressões com o grupo. O professor deve concluir ressaltando a importância dos pés, retomando a conversa da aula anterior.
http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=ensinar_e_aprender.turbine_interna&id_dica=120

29 de abr de 2008

A Ostra e a Pérola


A Ostra e a Pérola

"Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas."
Pérolas são produtos da dor; resultados da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou grão de areia.
Na parte interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada nácar. Quando um grão de areia a penetra, ás células do nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra.
Como resultado, uma linda pérola vai se formando.
Uma ostra que não foi ferida, de modo algum produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada.
O mesmo pode acontecer conosco. Se você já sentiu ferido pelas palavras rudes de alguém? Já foi acusado de ter dito coisas que não disse? Suas idéias já foram rejeitadas ou mal interpretadas? Você já sofreu o duro golpe do preconceito? Já recebeu o troco da indiferença?
Então, produza uma pérola !
Cubra suas mágoas com várias camadas de AMOR.
Infelizmente, são poucas as pessoas que se interessam por esse tipo de movimento.
A maioria aprende apenas a cultivar ressentimentos, mágoas, deixando as feridas abertas e alimentando-as com vários tipos de sentimentos pequenos e, portanto, não permitindo que cicatrizem.
Assim, na prática, o que vemos são muitas "Ostras Vazias", não porque não tenham sido feridas, mas porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor.
Um sorriso, um olhar, um gesto, na maioria das vezes, vale mais do que mil palavras.
(Autor Desconhecido)